27 de nov de 2009

Clavicórdio


Forma antiga de instrumento de teclado, usada domesticamente entre os séculos XV e XVIII. Desenvolveu-se a partir do monocórdio e foi finalmente desalojado como instrumento popular caseiro durante o século XVIII. A mecânica do clavicórdio dependia de uma lâmina metálica, chamada tangente, presa à extremidade de cada tecla. Quando a tecla era calcada, a tangente percutia na corda (ou par de cordas) que se queria fazer soar, pondo-a em vibração e imobilizando-a no ponto apropriado de seu comprimento a fim de produzir a nota com a requerida altura de som. A seção mais comprida da corda vibrava para produzir a nota e a seção mais curta era abafada por pequena almofada de feltro. A tangente permanecia em contato com a corda (ou cordas) enquanto a tecla estivesse abaixada, possibilitando a realização de um efeito vibrato. As cordas do clavicórdio estão esticadas paralelamente ao teclado e o instrumento tem a forma de uma caixa retangular, sendo tocado sobre uma mesa. Alguns modelos tinham pernas próprias. O som delicado e etéreo do clavicórdio tornava-o inadequado para performances públicas, exceto em escala muito pequena. Ele não podia concorrer com a potência do cravo e do piano, que o substituíram como instrumento de concerto; ao mesmo tempo, sem recursos expressivos fizeram com que ele fosse o instrumento de cabeceira de compositores como Bach.

Nenhum comentário: